O juiz Luiz Umpierre de Mello Serra, titular da 6ª Vara Empresarial do Tribunal de Justiça do Rio que está cuidando do pedido de recuperação judicial da Veplan Hotéis Sofitel, em Copacabana, deu um prazo de 24 horas, que termina às 14 horas desta quinta-feira (dia 28 de setembro), para que os advogados da Veplan justifiquem as incompatibilidades das informações contidas nos balanços patrimoniais de 2005 e 2006 e os débitos apontados pela Caixa Econômica Federal.

Com isso, fica suspensa a eficácia da decisão que deferiu o início do processo de recuperação judicial da empresa. O leilão do prédio do Hotel estava marcado para acontecer na terça-feira 26 de setembro), mas foi suspenso. "É preciso que os advogados expliquem, nesse prazo de 24 horas, porque o balanço dos anos 2005 e 2006 não contemplam os créditos da Caixa Econômica. Precisam também juntar ao processo a declaração do patrimônio dos sócios e a relação dos empregados, entre outros documentos", explicou Mello Serra.

Somente após o prazo de 24 horas dado aos advogados da empresa Veplan Hotéis e Turismo SA, dona do prédio, o juiz poderá decidir se é ou não viável o processamento da recuperação judicial do hotel. O juiz considerou, ainda, que o processo de recuperação não prejudicará financeiramente a empresa, nem colocará em risco o emprego dos funcionários. "Parece razoável afirmar que o eventual prosseguimento das execuções em nada interferirão nas atividades desempenhadas no estabelecimento hoteleiro, em razão de estarem sob a administração de pessoa jurídica estranha ao feito, na qualidade de locatária do bem", escreveu o juiz na decisão.

Fonte: Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro - TJ/RJ
www.tjrj.jus.br